05/07/2020 - Nova licitação da ANP mira acompanhamento mais atento de preços
Notícia de licitação
 

Porto Velho Portal da Cidade

 

Maior eficiência e transparência no acompanhamento de preços e do comportamento do mercado.

 

Com essa finalidade, a diretoria colegiada da Agência Nacional do Petróleo (ANP) aprovou, na última quinta-feira (2), a abertura de licitação para contratação de empresa responsável pelo novo formato do Levantamento de Preços de Combustíveis (LPC).

 

Maior qualidade

 

Além de alterações e aprimoramentos que elevam a qualidade desse serviço de informações, a pesquisa pretende acompanhar com maior detalhe o comportamento dos preços dos combustíveis automotivos e do GLP (gás de cozinha).

 

Com duração de agosto de 2020 a agosto de 2021, a pesquisa será divulgada semanalmente.

 

Geolocalização do pesquisador

 

Entre as principais novidades, destaque para o formulário eletrônico – que substitui o atual, em papel – pelo qual será capturada a geolocalização do pesquisador, acrescido de data e hora, fotos do posto e de seu painel de preços.

 

As modificações introduzidas tornam o sistema mais confiável e passível de rastreamento de dados.

 

Abrangência inalterada

 

Ao mesmo tempo, a abrangência geográfica da pesquisa (459 localidades) se mantém inalterada, assim como sua periodicidade (semanal) e o número de postos (6 mil) e revendas de GLP (4.400) pesquisados por semana.

 

A partir de agora, o LPC não fornecerá mais informação sobre os preços de aquisição dos produtos pagos pelos postos às distribuidoras, coletados mediante apresentação de nota fiscal de compra pelo posto ao pesquisador.

 

Exclusão justificada

 

Essa exclusão decorre em razão das resoluções  ANP nº 729/2018 e nº 795/2019 – criadas a fim de dotar de maior transparência a comercialização do setor de combustíveis –  que já obrigam os distribuidores a fazê-lo por meio do Sistema de Movimentação de Produtos (SIMP).

 

Tais dados podem ser encaminhados mensalmente pelo SIMP, de forma mais abrangente e completa que a apresentada pela atual pesquisa de preços.

 

Acesso direto

 

A partir de setembro próximo, estes passarão a ser disponibilizados no Portal da ANP.

 

A ideia da autarquia é contribuir para que os consumidores tenha condições de buscar “as melhores opções de compra”, por meio do acesso direto ao levantamento de preços da ANP.

 

A agência entende que o acompanhamento do mercado e monitoramento de indícios de práticas lesivas à concorrência é fundamental para que se identifique indícios de infrações à ordem econômica.

 

Além disso, será possível formular e encaminhar, posteriormente, estudos sobre esse mercado diretamente ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão criado para investigar e punir irregularidades do setor.

 

O levantamento de preços atual da ANP está disponível no site da ANP.

Análise da página "nvliiiiiiiciiit"   

Avaliação: 0 de 10 | Comentários: 15 | Número de avaliações: 29
 
 
 

 
Contato
 
  (48) 98836-3254
  (48) 3364-8666
  (48) 3028-9667
Av. Pref. Osmar Cunha, 416, Sala 11.05, Centro, Florianópolis/SC, CEP 88015-100
Encontre-nos
 
ACidade ONMilene Moreto O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada A Prefeitura de Campinas autorizou na sexta-feira (21) a abertura do processo de licitação da Parceria Público Privada do Lixo. Agora, a Secretaria de Administração deve preparar a concorrência e disponibilizá-la para as empresas interessadas em assumir a gestão de resíduos sólidos na cidade. O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada. O processo ficará 45 dias disponível para consultas. Esse é o prazo para o recebimento das propostas. A abertura dos envelopes só é autorizada após esse período. A PPP do Lixo é um dos maiores contratos da Administração, orçado em R$ 800 milhões. Passou por consulta pública e, segundo o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, as mudanças sugeridas pela população não afetaram o projeto base. "Nós tivemos muitas sugestões e várias foram incorporadas ao nosso projeto, como a maximização da reciclagem. Nenhuma delas, no entanto, alterou a ideia do governo que é a de criar usinas, fazer uma gestão inteligente do lixo e com redução do impacto no meio ambiente", disse.  Sobre o edital, Paulella afirmou que que o processo está em fase avançada e acredita que, no máximo em um mês, já esteja disponível. "Durante toda a discussão da PPP o edital já estava em preparação. Precisamos agora apenas dos ajustes finais. Se tudo correr bem, nossa estimativa é de encerrar a licitação até o final do ano", disse o secretário. TRÊS USINAS A nova gestão do lixo planejada pela Prefeitura inclui a construção de três usinas: compostagem de lixo orgânico, reciclagem e transformação de rejeitos (carvão), que leva o nome de CDR. A receita da venda do material reciclado, composto e carvão é dividida com a Prefeitura. Cada um - empresa e Prefeitura - fica com 50%. O carvão, por exemplo, é utilizado em metalúrgicas e usinas de cimento, um mercado que está em crescimento em todo o mundo.  Todo o lixo passará por tratamento. Aquele que não puder ser aproveitado em nenhuma das usinas será descartado pela empresa. Mas a quantidade é pequena. Segundo Paulella, menos de 5%. Também é responsabilidade da concessionária que vencer a licitação realizar esse descarte em local adequado. O prazo para a vencedora da concessão construir as usinas é de cinco anos. Os serviços de varrição, cata-treco, coleta seletiva e ecopontos são assumidos imediatamente, mas a empresa só recebe pelo serviços prestados. Quanto mais ela demorar para construir as usinas, menos conseguirá gerar de receita.
 
Home   •   Topo   •   Sitemap
© Todos os direitos reservados.
 
Principal   Equipe   Missão e Valores   Imprensa