02/01/2021 - Piauí conseguiu contratar três novos projetos de PPP em 2020
Notícia de licitação
 

Cidade Verde

 

Mesmo em um ano difícil, em que uma pandemia impactou a economia e a sociedade de uma forma severa, a Superintendência de Parcerias e Concessões do Governo do Piauí (Suparc) conseguiu contratar três importantes projetos de Parceria Público-Privada (PPP). Trata-se do Habitar Servidor, as Miniusinas de Energia Solar e o Terminal Turístico de Barra Grande. Essas iniciativas devem ajudar a gestão estadual a enfrentar a crise econômica, gerando economia aos cofres públicos e impactando diretamente na geração de emprego e renda, na redução do déficit habitacional, no incentivo turismo e no uso de fontes de energia ambientalmente sustentável.

 

O Habitar Servidor é a primeira PPP de Habitação do Piauí e vai viabilizar a construção de 500 apartamentos em um terreno do governo do Estado com localização privilegiada na zona Leste de Teresina. As obras e comercialização dos apartamentos já devem começar no início de 2021 e a prioridade são servidores públicos estaduais, especialmente policiais militares. Os apartamentos terão preço subsidiado e a Caixa Econômica Federal vai financiar até 80% do valor do imóvel.

 

As empresas vencedoras da licitação da PPP da Miniusinas de Energia Solar Fotovoltaicas devem começar a construir as estruturas também em 2021. A proposta prevê a instalação e gestão de oito miniusinas que deverão garantir a geração de energia em quantidade suficiente para abastecer os prédios da Administração Pública Estadual. O contrato tem previsão total de investimentos no valor de R$ 150 milhões e deve gerar uma economia de cerca de R$ 10 milhões para os cofres públicos. As oito miniusinas devem gerar 650 mil kWh/mês e ainda devem resultar em cerca de 640 novos empregos, diretos e indiretos, nas cidades contempladas no projeto.

 

O Terminal Turístico de Barra Grande, localizado na cidade de Cajueiro da Praia, teve o Termo de Permissão assinado em dezembro de 2020. A PPP vai garantir a recuperação de todo o espaço físico e viabilizar a gestão e a manutenção do equipamento pelos próximos anos, melhorando a recepção aos turistas que chegam ao litoral do Piauí.

 

“Esse terminal tem uma importância estratégica para o turismo do estado, por estar localizado em uma das regiões que mais vem se destacando pelo número de turistas que recebe. A parceria com a iniciativa privada vai impulsionar ainda mais esse setor e dar mais conforto aos visitante que precisam se deslocar de transporte rodoviário, sem contar a geração de emprego e renda que o funcionamento desse equipamento vai permitir”, destacou Viviane Moura, superintendente de Parcerias e Concessões (Suparc).

 

Concessionárias de PPPs investiram já quase R$ 700 milhões no Piauí

 

Águas de Teresina; Nova Ceasa; Arena Verdão e Terminais Rodoviários de Teresina, Picos e Floriano completam a carteira de projetos de PPPs contratados do Piauí. Em 2020, eles já somaram mais de R$ 700 milhões em investimentos da iniciativa privada em setores estratégicos, como o abastecimento de água e o saneamento básico, por exemplo. Além disso, essas concessionárias já geraram mais de 3 mil empregos diretos, desde o início das concessões.

 

A Águas de Teresina universalizou o serviço de abastecimento da capital em 2020, mesmo com a pandemia. Os investimentos da empresa este ano ultrapassam os R$ 400 milhões e fizeram com que a capital contasse com o fornecimento de água regular, além dos empregos gerados com esse trabalho.

 

A PPP Piauí Conectado já disponibiliza internet em 101 municípios e deve chegar às 224 cidades piauienses até 2022. A concessionária ainda entregou, em 2020, um moderno Centro de Controle que monitora toda a operação dos serviços de conectividade e que conta com equipamentos de última geração.

 

Durante a pandemia, as concessionárias se uniram ao governo em ações para amenizar os efeitos da crise. Exemplo disso foi o Ginásio Verdão, que serviu de base para funcionamento do Hospital de Campanha para atender pessoas com sintomas leves de Covid-19. Já a concessionária Piauí Conectado garantiu internet para manter os serviços públicos funcionando de forma remota e ainda auxiliou com a distribuição de computadores para diversos órgãos públicos poderem realizar o trabalho na pandemia, o que possibilitou, por exemplo, as visitas virtuais entre pacientes internados e familiares que sofriam com a distância e o isolamento imposto. Nova Ceasa e Rodoviária continuaram funcionando e mantendo serviços que são essenciais à disposição da população.

 

“São várias ações que não podem ser contabilizadas apenas em números, em dinheiro economizado pelo poder público ou em investimento realizado pela iniciativa privada. É um conjunto de resultados que demonstram na prática a melhoria dos serviços e os ganhos para a população, a partir dessas parcerias”, destaca Viviane Moura.

 

A Suparc tem atualmente 45 projetos que compõem a carteira. Dentre eles, as prioridades para contratação em 2021 são: Rodovia Transcerrados, Aeroporto Regional de Parnaíba, Parque Zoobotânico de Teresina e Shopping Piauí Center Modas.

Análise da página "piiiiiiauiiiii"   

Avaliação: 9 de 10 | Comentários: 14 | Número de avaliações: 27
 
 
 

 
Contato
 
  (48) 98836-3254
  (48) 3364-8666
  (48) 3028-9667
Av. Pref. Osmar Cunha, 416, Sala 11.05, Centro, Florianópolis/SC, CEP 88015-100
Encontre-nos
 
ACidade ONMilene Moreto O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada A Prefeitura de Campinas autorizou na sexta-feira (21) a abertura do processo de licitação da Parceria Público Privada do Lixo. Agora, a Secretaria de Administração deve preparar a concorrência e disponibilizá-la para as empresas interessadas em assumir a gestão de resíduos sólidos na cidade. O Executivo estima que até o final do ano a licitação seja encerrada. O processo ficará 45 dias disponível para consultas. Esse é o prazo para o recebimento das propostas. A abertura dos envelopes só é autorizada após esse período. A PPP do Lixo é um dos maiores contratos da Administração, orçado em R$ 800 milhões. Passou por consulta pública e, segundo o secretário de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, as mudanças sugeridas pela população não afetaram o projeto base. "Nós tivemos muitas sugestões e várias foram incorporadas ao nosso projeto, como a maximização da reciclagem. Nenhuma delas, no entanto, alterou a ideia do governo que é a de criar usinas, fazer uma gestão inteligente do lixo e com redução do impacto no meio ambiente", disse.  Sobre o edital, Paulella afirmou que que o processo está em fase avançada e acredita que, no máximo em um mês, já esteja disponível. "Durante toda a discussão da PPP o edital já estava em preparação. Precisamos agora apenas dos ajustes finais. Se tudo correr bem, nossa estimativa é de encerrar a licitação até o final do ano", disse o secretário. TRÊS USINAS A nova gestão do lixo planejada pela Prefeitura inclui a construção de três usinas: compostagem de lixo orgânico, reciclagem e transformação de rejeitos (carvão), que leva o nome de CDR. A receita da venda do material reciclado, composto e carvão é dividida com a Prefeitura. Cada um - empresa e Prefeitura - fica com 50%. O carvão, por exemplo, é utilizado em metalúrgicas e usinas de cimento, um mercado que está em crescimento em todo o mundo.  Todo o lixo passará por tratamento. Aquele que não puder ser aproveitado em nenhuma das usinas será descartado pela empresa. Mas a quantidade é pequena. Segundo Paulella, menos de 5%. Também é responsabilidade da concessionária que vencer a licitação realizar esse descarte em local adequado. O prazo para a vencedora da concessão construir as usinas é de cinco anos. Os serviços de varrição, cata-treco, coleta seletiva e ecopontos são assumidos imediatamente, mas a empresa só recebe pelo serviços prestados. Quanto mais ela demorar para construir as usinas, menos conseguirá gerar de receita.
 
Home   •   Topo   •   Sitemap
© Todos os direitos reservados.
 
Principal   Equipe   Missão e Valores   Imprensa